A influência de determinados grupos alimentares na função renal – Medical News Bulletin

Clinical Trials & Research


Um estudo investiga a relação entre alimentos integrais, frutas e vegetais e o funcionamento dos rins.

 

A insuficiência renal crónica (IRC) é um problema de saúde pública a nível global que está geralmente associado à pressão arterial alta e à diabetes. A IRC pode resultar em doença cardiovascular e consequentemente levar à morte. A ingestão de alimentos integrais, frutas e vegetais tem estado associada ao risco baixo de diabetes, o que sugere que estes alimentos possam prevenir doenças renais. Hoje em dia, a diminuição do risco de insuficiência renal está relacionado com o consumo de café, dietas ricas em beta-caroteno e pobres em sal, colesterol e proteína animal. No entanto, as investigações efetuadas até hoje têm produzido resultados contraditórios.

Investigadores na Holanda realizaram o primeiro estudo longitudinal a analisar a relação entre grupos alimentares e a função renal. Os resultados obtidos foram recentemente publicados no British Journal of Nutrition. Este estudo incluiu 3,787 adultos holandeses que apresentavam um estado de saúde saudável, e monitorizou alterações da função renal ao medir a ingestão de alimentos integrais, frutas e vegetais. Este estudo foi realizado durante 5 anos e um período de acompanhamento de 15 anos. Os participantes utilizaram um questionário para documentar a ingestão de alimentos. A função renal foi avaliada através dos níveis de albumina: a depuração da creatinina (CCR) e a taxa de filtração glomerular estimada (TFG).

A CCR foi medida no final do estudo através da recolha de amostras de urina. Tal avaliação informou os investigadores da existência de proteína (albumina) a passar pelos rins, o que sugeriu danos a nível da função renal. A TFG foi documentada durante o estudo a fim de observar quaisquer alterações. Esta é uma variável que determina a eficiência dos rins na filtração do sangue, remoção de resíduos e produção de urina. Indivíduos que sofrem de insuficiência renal apresentam valores de filtração baixos e alterações da TFG sugere o agravamento da função renal.

Os participantes informaram também a equipa de investigadores acerca da atividade física praticada, pressão arterial, consumo de álcool, ingestão de café, índice de massa corporal (IMC), grau de formação escolar, ingestão de suplementos vitamínicos e ingestão de alimentos ricos em antioxidantes.

Os resultados sugeriram que não existe uma relação significativa entre a ingestão de alimentos integrais, frutas e vegetais e a CCR e a TFG. Foi de fato verificada uma probabilidade menor na diminuição da taxa de TFG com o consumo de alimentos integrais, mas não relevante para alcançar conclusões definitivas.

Apesar da ingestão de alimentos pertencentes a estes grupos alimentares estar normalmente associada a melhores resultados para pacientes que sofrem de diabetes, este estudo sugere que o mesmo não acontece para os que sofrem de insuficiência renal crónica. Investigações futuras são necessárias para alcançar conclusões sólidas. Muitos dos participantes que desistiram do estudo eram de idade avançada e com um estado de saúde mais deteriorado, o que significa que os resultados obtidos descrevem maioritariamente indivíduos jovens e saudáveis que não correm risco de insuficiência renal crónica. É também de notar que variáveis tais como a adição de sal não foram documentadas e podem ter influência no funcionamento dos rins. Para além disso, a dieta alimentar de um indivíduo não é consistente durante um período de 5 anos e alterações drásticas a nível alimentar podem sugerir mais uma razão para a falta de descobertas significativas.

Em suma, o estudo em discussão não encontrou benefícios significativos no melhoramento da função renal através do consumo de alimentos integrais, frutas ou vegetais. Investigações futuras devem ser feitas para descobrir de que forma a dieta alimentar pode melhorar e proteger o funcionamento dos rins. A análise de diferentes grupos alimentares, tais como proteína animal vs. proteína vegetal, ou laticínios, pode ser relevante para este estudo.

 

Escrito por Elena Popadic
Traduzido por Ângela Carvalho, PgC

Referências:

Herber-Gast, G., Boersma, M., Verschuren, W., Stehouwer, C., Gansevoort, R., Bakker, S., & Spijkerman, A. (2017). Consumption of whole grains, fruit and vegetables is not associated with indices of renal function in the population-based longitudinal Doetinchem study. British Journal Of Nutrition, 118(05), 375-382. http://dx.doi.org/10.1017/s0007114517001726



Source link

Products You May Like

Articles You May Like

Five European Bike Festivals Where You Can Take An E-Bike Off-Road
Risk Management Society names Rebecca Cady as Risk Manager of the Year
What is the Relationship between Alcohol Consumption and Obesity? – Medical News Bulletin
Using Oxygen “Microbubbles” To Improve Radiation Therapy
Can diet and exercise prevent Alzheimer’s disease?

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *